Roma: a cidade eterna

O que fazer em Roma Coliseu em Roma

Para abrir com chave de ouro minha viagem escrita pela Itália, vou falar sobre Roma: a cidade eterna (que dividirei em alguns capítulos)!

Antes de qualquer coisa, (sim, eu sou chata) para quem leu meus posts iniciais, sabe que eu detesto viagem estilo Facebook (dessas agências famosas de viagens, que vendem pacote caríssimos de 15 cidades em 15 dias). Eh muito melhor (e verdadeiro) ficar 15 dias em Roma, Florença e Veneza do que os ideias malucas que miram estar em um local, fazer o check list e partir para outro local.
Chatices a parte, quando alguém me pergunta quanto tempo ficar em cada cidade, sempre respondo o seguinte sobre Roma:  “3 dias correndo se o objetivo é ver o “tudo-turístico” e não entrar em museus; 4 dias correndo caso queira entrar em pelo menos 1 museu, 5 e 6 se não quiser fazer às pressas (o ideal, claro).”
Mas é óbvio que, esse “tudo-turístico”  é aquilo mostrado nos guias turísticos. Estive 3 vezes em Roma e há muita coisa que eu ainda não vi!

 

Turistando.in Roma-mapa-turismo

Bom, quando me pedem conselhos, eu sempre divido Roma em 4 partes: norte (que na imagem eu denominei como Vaticano com, claro, a cidade do Vaticano, o Castel Sant’Angelo, o Ara Pacis, a Piazza del Popolo terminando no Borghese); centro (que chamei de Roma barroca); sul (com a parte antiga de Roma, o Colosseo, o Foro Romano e etc) e Trastevere.
Esta divisão é boa para o turista apressado e que não pode perder muito tempo com o ir e vir.
Mas para este blog dividirei Roma por coisas a se ver.
Primeiro a Roma dos romanos, sobre a parte muito antiga de Roma, que fica ao Sul do mapa acima.
A Roma barroca eu dividi em 3 partes, dentro do post Roma católica-artística, na qual usarei as igrejas para mostrar obras de artes da arquitetura, da escultura e da pintura e a Roma Barroca e o Vaticano.
E em breve farei um breve tópico sobre os Museus de Roma. Mas se precisar de dicas, é só escrever na parte dos comentários logo abaixo.
Em relação à época do ano, não acho que exista uma melhor época. Roma estará sempre lotada.
No entanto, das 3 vezes que estive, diria que o mês de abril foi o mês mais cheio; com as filas mais longas, sem contar nas chuvinhas, no vento frio que batia de repente e no calor que do nada aparecia. Junho e Julho, apesar de ser muito quente tem menos filas nos museus e igrejas.

About Juliana (www.turistando.in)

Mãe do Léo, professora de italiano e apaixonada pelas maravilhas do mundo. Viajaria mais se o dólar estivesse mais baixo!

9 thoughts on “Roma: a cidade eterna

  1. Olá Juliana,

    Tudo joia? Estou gostando muito das suas dicas. Pretendo ir a Roma em Fevereiro / 2015. Ficarei 7 dias aproximadamente. Qual a sua opinião sobre essa época e se por acaso os principais museus estarão abertos?

    Obrigado

    Daniel Figueredo

    1. Olà Daniel
      Fico feliz que minhas dicas estejam te ajudando!
      Estava comentando com o meu marido… fomos para a Europa no ultimo ano de inverno pouco rigoroso (2008) e na Italia teve apenas 4 dias de neve!
      Depois disso, começaram as nevascas
      rs
      Fevereiro, imagino eu, serà uma época com poucos turistas (exceto carnaval) e muito frio! Que eu saiba, os museus fecham apenas uma vez por semana (domingo ou segunda. Preste atençao!) e em poucos feriados.

      Aliàs, retorne aqui no blog e nos diga se vc pegou muita fila!
      😉

      E se tiver mais duvidas, pode me escrever!

      Abbraccio,

  2. Puxa Douglas
    Se fosse a Pàscoa, teria a Via Crucis! E que deve ser linda em Roma!

    Em Corpus Christi eu nao tenho ideia! Procurei na net e nao achei coisas muito relevantes!

    Eu estava em Genova nesta época, mas como eu era uma simples turista, que mal tinha noção do dia da semana (rs), nem percebi o feriado passar!

    Caso você seja catòlico, hà missas realizadas pelo Vaticano. No site deles hà informações na nossa língua!

    Boa sorte e desculpe nao conseguir te ajudar!
    🙁
    Abbraccio,

Deixe aqui teu comentário :)