O que ver em Sampa (trajeto 2 – Centro – República)

Centro - República
Meu 2° trajeto serà o Centro – República (mapa no final do post) e, obviamente, começará na Praça da República (info wikipedia).
A estação de metrô da República, no meu ponto de vista, é o melhor de SP. Ela faz parte da linha amarela (Luz-Butantã) e da linha vermelha (Itaquera-Barra Funda) e está a uma estação da linha verde e da linha azul!
Super bem localizada!

A praça é já um point legal de se visitar, principalmente aos finais de semanas e alguns feriados. Desde 56 ela é palco da feirinha de artesanatos e de comidinhas de rua.

Atrás dela, pela Vieira de Carvalho, uma das grandes ruas arborizadas de SP, chega-se ao Largo do Arouche, mas seguindo os pontos turísticos da cidade, a partir da praça, é possível ver o famoso prédio do Circolo Italiano, o Edifício Itália, conhecido pelo restaurante de seu terraço.

E’ o segundo maior prédio de SP!

Aqui temos um outro mirante do centro, mas para entrar nele é super chato. Ou você entra no caríssimo restaurante, ou paga (se não me engano, R$ 30,00 aos finais de semana) ou, finalmente, entra gratuitamente apenas de segunda à sexta, entre 15h e 16h (a italianada é chata mesmo!).

Mais adiante, seguindo sentido a rua da Consolação, vemos o famoso prédio projetado por Oscar Niemeyer, que parece uma bandeira ao vento, o Copan (info wikipedia).
Além dos apartamentos, no térreo funciona  um mini centro comercial, com lojas, restaurantes, salão de beleza e etc.

Continuando pela Ipiranga, veremos a igreja da Consolação (info wikipedia) e, atrás dela, a recém reformada Praça Roosevelt  (info wikipedia) (que virou point de skatistas).

Ainda não está totalmente reconstruído, mas na Rua Nestor Pestana tem o Teatro Cultura Artística (info wikipedia), mas para quem curte teatro, deve circular pela Martinho Prado!
Infelizmente a prefeitura anterior (gestão Kassab), demoliu o castelinho da Kilt, um “puteiro” que animava a região – rs. Era curioso ver a quantidade de carrões que paravam ali na frente! E o prédio em si era brega e curioso!

Camões, em frente à BMA

Retornando pela parte arborizada da rua Consolação, avistaremos a biblioteca Mario de Andrade (info wikipedia), biblioteca com o maior acervo de SP e segunda maior do Brasil (perde apenas para a Biblioteca Nacional do RJ).
Além do acervo, o local abriga algumas exposições e, em seu anfiteatro, há uma programação de colóquios, palestras, filmes e etc.
A biblioteca se encontra na praça Dom José Gaspar (info wikipedia), que contém uma série de esculturas de grandes escritores (Dante, Cervantes, Goethe, Mário de Andrade e Camões). Do lado oposto à biblioteca, há alguns restaurantes e a Galeria Metrópole. Foi também a primeira praça de SP a ter wifi grátis.

Daqui, iremos para o Municipal com dois roteiros:
1) seguindo reto pela Xavier de Toledo até o teatro ou 2) se perdendo pelas ruazinhas comerciais do centro.
Aconselho o 2° roteiro!
As ruas-calçadões deste lado do centro são mais largas e dar uma passadinha pela Barão de Itapetininga e 24 de maio pode ser divertido.
E’ aqui que se encontra a famosa Galeria do Rock (info wikipedia), que também pode te dar uma visão bacana do largo e da igreja do Paissandu (info wikipedia) .

Para você que gosta de arte, a Galeria Olido (info wikipedia) tem ótimas e baratas apresentações!

Seguindo reto a São João, entrando no seu calçadão, temos a recém criada Praça das Artes (info wikipedia), com apresentações de musica e exposição (agora em dezembro 2014 temos a exposição O Mundo segundo Mafalda).
Saindo pela Conselheiro Crispiniano, estaremos na traseira do prédio que eu considero o mais lindo de SP, principalmente iluminado: o Theatro Municipal de SP (info wikipedia).

O prédio, cartão postal de SP, vale uma visitação. Quem quiser conhecer o prédio, pode fazer uma visita guiada ao local (veja aqui) e/ou comprar um ingresso para alguma das várias apresentações que ocorrem no local.
Se o interesse é ver alguma das apresentações de ópera, aconselho a comprar o ingresso antecipadamente. A venda da temporada inicia em dezembro.
O prédio da Light e o Martinelli ao fundo

Em frente ao teatro, mais um prédio antigo, o prédio da Light (info wikipedia), que oficialmente se chama Edifício Alexander Mackenzie e que hoje abriga o Shopping Light.

E aqui temos o encontro do Trajeto 1. O prédio da Light se encontra na esquina da Xavier de Toledo com o Viaduto do chá (info wikipedia), que liga o lado central da Sé com o lado da República.
No final do viaduto, temos o Martinelli, hoje prédio da prefeitura (final do trajeto 1).

Dependendo do horário, que tal descer para a praça abaixo do viaduto, o vale do Anhangabaú (info wikipedia)?
O caminho mais interessante é descer a escadaria ao lado do Municipal e apreciar o conjunto de doze esculturas vindas da Itália em homenagem a Carlos Gomes, a maioria referem-se às óperas do compositor.
Aqui vai uma  curiosidade que ouvi durante uma visitação guiada pelo centro: Há uma imensa fonte apelidada de Fonte dos Desejos. Diz a lenda que a mulher do prefeito Adhemar de Barros, em sua inauguração, depositou ali água da Fontana di Trevi, de Roma.
O vale ficou abandonado por muito tempo. Hoje ela é palco de shows e eventos, como a Funfest, durante a Copa do mundo!
Do viaduto é possível avistar o maior prédio de SP, o Mirante do Vale (info wikipedia), com 170 metro de altura. E olhando para ele, como ele está no vale, certamente você não acreditará.
Do vale, siga para o lado oposto ao viaduto, sentido o Palácio dos Correios (info wikipedia), que também é um Centro Cultural. E ao lado, eis o calçadão da São João!
Subindo sentido Paissandú vocês estarão no famoso cruzamento com a Ipiranga, citado por Caetano! Mas não perca teu tempo! Não é charmoso!
Porém, o lado oposto tem sim o seu charme.
Além de uma visão do Banespão, é o caminho para chegar até o Martinelli (info wikipedia), o primeiro arranha céu de SP (o prédio rosa do lado direito da foto).
No 26° andar, o prédio oferece um mirante aberto a visitação no terraço do  prédio.
A entrada é grátis e pode ser feita de segunda à sexta das 9h30 às 11h30 e 14h30 às 16h30 e aos sábados até as 13h.
Há também visitas monitoradas, mas para isso, em que fazer um agendamento antecipado (mais infos aqui).

 

1.6kfãs
1kfãs
27.2kfãs
4.7kfãs

About Juliana (www.turistando.in)

Mãe do Léo, professora de italiano e apaixonada pelas maravilhas do mundo. Viajaria mais se o dólar estivesse mais baixo!

Deixe aqui teu comentário :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.